fbpx

Existem diversas formas de se conseguir investimentos para uma startup. Investidores anjo, capital semente, crowdfunding, são apenas algumas delas. Porém, para de fato conquistar o investidor e conseguir os recursos que você precisa, algumas dicas são essenciais. Para te ajudar na sua jornada empreendedora, selecionamos algumas delas para você!As startups são empresas que trabalham com inovação, independentemente do ramo da atividade. Por este “pequeno detalhe”, ou seja, pelo fato de empreenderem através de um modelo de negócios inovador, essas empresas entram no mercado com objetivos bastante diferentes daqueles de uma empresa tradicional. Enquanto uma empresa comum visa lucratividade e se destacar perante a concorrência, uma startup precisa conquistar seus clientes e o mercado, mostrando que o seu produto ou serviço, de fato, gera valor.

Como o objetivo principal de uma startup, em um primeiro momento, não é ter retorno financeiro, muitos desses negócios inovadores precisam de capital de investimento até que possam efetivamente crescer enquanto um negócio. Por isso, ter investidores aqui significa uma questão de sobrevivência e pode ser fundamental para que a empresa prospere ou não no mercado.

Existem diversas formas de se conseguir investimentos para uma startup. Investidores anjo, capital semente, crowdfunding, são apenas algumas delas. Porém, para de fato conquistar o investidor e conseguir os recursos que você precisa, algumas dicas são essenciais. Para te ajudar na sua jornada empreendedora, selecionamos algumas delas para você!

1. Tenha um MVP

A sigla “MVP” significa “Minimum Viable Product”, ou seja, um produto minimamente viável. Ter um MVP significa que o empreendedor já coletou alguns dados importantes sobre o mercado, incluindo um mapeamento simplificado de seus prováveis clientes. Ele também estabelece situações práticas para o negócio, que possibilitam avaliar preços, funcionalidades e até vendas do seu produto ou serviço. É essencial que você tenha como mostrar aos investidores que o seu produto ou serviço possui viabilidade no mercado, caso contrário, será mais difícil conseguir alguém que aposte na sua ideia.

2. Elabore um Plano de Negócios para sua Startup

Muitos empreendedores questionam a elaboração de um Plano de Negócios no caso das startups, afinal, esse tipo de empresa não atua no mercado a partir de um modelo tradicional, logo, alguns aspectos de um Plano de Negócios sequer são aplicáveis. No entanto, existem diversas técnicas para se montar um Plano de Negócios e embora algumas não sejam totalmente aplicáveis a uma startup, outros podem ser muito bem explorados. É o caso, por exemplo, do Canvas. Este modelo de Plano de Negócios vem amplamente sendo utilizado por quem empreende com inovação, gerando bons resultados.

O objetivo do Plano de Negócios é demonstrar a viabilidade econômica de um negócio, um passo essencial para quem quer convencer investidores. Assim, se você tem esse objetivo, não deixe de construir um bom plano de negócios, mostrando com clareza que sua startup tem excelentes chances de prosperar.

3. Desenvolva seu Pitch

Parta sempre do pressuposto que o investidor é um sujeito naturalmente desinteressado e sem tempo. Por isso, você precisa em poucos minutos conquistá-lo, mostrando que a sua startup tem futuro. “Quais são as principais vantagens do seu negócio?”, “Porque você investiria nele se tivesse dinheiro?”, “Qual o valor que você entrega aos seus clientes?”. Essas são perguntas que, quando bem respondidas, estão um passo a frente de conquistar um investidor. O pitch nada mais é do que a apresentação do seu negócio de forma rápida e sucinta e ele é fundamental para “pescar” seu investidor, para que depois você possa mostrar com mais profundidade as qualidades da sua startup.

4. Tenha uma Assessoria Contábil

Você sabe qual o melhor tipo de empresa para a sua startup? Tem ideia de qual os impostos ela deverá recolher e como otimizar esse custo? Esses são detalhes operacionais que podem fazer muita diferença no seu projeto e mostram para o seu investidor que você já tem um conhecimento sobre as futuras despesas da sua empresa e que ela não é apenas uma aventura.

Outro fato importante é que alguns tipos de empresa podem facilitar a entrada de um investidor no futuro, por exemplo. Por isso na hora de escolher qual o modelo que você irá adotar, bem como, qual o regime tributário a ser escolhido, o empreendedor precisa ser estratégico e uma consultoria contábil pode fazer bastante diferença no futuro.

A Contabilidade Online tem sido uma escolha frequente de muitas startups nesse sentido, pois além de agilizar os processos através de aplicativos e arquivos na nuvem, ainda conta com valores de acordo com a realidade da empresa. Você confere alguns dos benefícios da contabilidade online neste post do nosso blog. A Osayk, por exemplo, conta com planos perfeitamente indicados para startups. Clique e confira mais sobre nossos planos de contabilidade online.

5. Saiba Onde Buscar seu Investidor

Se você achava que precisava de uma lista de número de telefones e e-mails para sair em busca do seu investidor, você está bastante enganado. Hoje já existem diversas estruturas feitas para facilitar o investimento em inovação e startups. Separamos algumas delas para você!

Investidor Anjo

No investimento anjo, um executivo com experiência em gestão de negócios aposta seu próprio capital em uma nova empresa que represente lhe apresente um bom potencial. Em troca do capital oferecido, o investidor anjo recebe uma participação minoritária na empresa. Além de contribuir com recursos, o investidor anjo oferece conhecimento e uma rede de networking que são essenciais para alavancar o negócio. Portanto nesses casos, mais do que um provedor de recursos, o investidor também possui um papel de mentor.

Crowdfunding

O financiamento coletivo, ou crowdfunding como ficou conhecido, surgiu inicialmente para impulsionar projetos dos mais variados escopos. Posteriormente, essa forma de investimento foi ganhando espaço também entre as empresas que estejam em fase embrionária. A ideia aqui é expor seu projeto ao público através da internet e com isso obter recursos de apoiadores como forma de viabilizá-lo. Quem contribui para o projeto recebe uma recompensa em troca do apoio, que poderá ser dos mais variados tipos. Hoje já existem plataformas de crowdfunding especializadas em empresas  e podem ser uma ótima alternativa para as startups.

Capital Semente

No capital semente quem aposta recursos na startup é um fundo de investimentos. Nesse caso, a startup precisa contar com um desenvolvimento mínimo, ou seja, contar com uma cartela de produtos ou pelo menos o mapeamento de seus clientes. A ideia desse tipo de investimento é ajudar empresas a ganharem mais espaço no mercado e em geral, é necessário que elas já estejam “caminhando com as próprias pernas”.

Essas dicas foram úteis para você? Tem dúvidas sobre como conseguir investimento para a sua startup? Então deixe seus comentários abaixo e compartilhe sua experiência!

Comentários