fbpx

6 Passos para montar uma loja virtual.  Você pensa em abrir o próprio negócio e quer começar com uma loja virtual? Saiba que você não está sozinho! O e-commerce é um mercado em crescimento que atrai cada dia mais empreendedores, dos mais variados nichos. Segundo dados da consultoria Ebit, somente no primeiro trimestre de 2017 o e-commerce brasileiro faturou cerca de 21 milhões.

Embora o mercado eletrônico venha se mostrando cada vez mais favorável, especialmente para os pequenos negócios, abrir uma loja virtual não é algo tão simples e vai muito além de montar um site e registrar um domínio na internet! Para saber quais são os principais passos para montar uma loja virtual e consolidar seu negócio na internet, vale a pena conferir!

6 passos para montar uma loja virtual

1.      Faça um planejamento

O mercado dos e-commerces atrai inúmeros empreendedores iniciantes. Como não é necessário adquirir um ponto comercial e o investimento em um site pode ser baixíssimo, muitos acabam apostando nesse novo modelo.

Porém, mesmo que não seja necessário investir muito dinheiro em uma loja virtual, é fundamental que o empreendedor invista tempo planejando o seu negócio. Ainda que o processo de formalização de uma loja virtual não se diferencie muito de uma loja física, a forma de vender, se posicionar no mercado e até o sistema de tributação contam com algumas peculiaridades. Por isso, é fundamental que o empreendedor invista tempo fazendo um plano de negócios.

[Quer montar um plano de negócios e não sabe por onde começar? Confira nosso passo a passo!]

Antes mesmo de abrir um site e instalar sua loja virtual, procure estudar o mercado o qual você pretende se inserir. Avalie bem quem é seu potencial cliente e se existe alguma concorrência direta. Outra ideia é validar seu produto ou serviço checando se ele de fato atende as necessidades do seu público alvo.

É importante ter em mente que as vendas na internet dependem bastante da confiança e a jornada de compra pode ser um pouco mais complexa. Assim, estude e analise algumas técnicas de vendas para o e-commerce e verifique quais são as ferramentas que o seu site pode ter a fim de melhorar o sucesso nas vendas.

2.      Escolha o tipo de empresa

Agora que você já tem um plano de negócios e mais clareza sobre o seu projeto, chegou a hora de conhecer mais sobre as questões burocráticas que envolvem montar uma loja virtual.

O primeiro passo antes de formalizar o seu negócio é escolher o tipo de empresa que melhor atende as suas necessidades. A legislação brasileira prevê diferentes tipos de empresas com modelos societários distintos.

A escolha do tipo de empresa é um passo importante e estratégico, afinal, além de determinar o regime tributário do seu negócio, dependendo do tipo escolhido, seu negócio pode favorecer menos ou mais a entrada de investidores no futuro.

Em geral, os pequenos e-commerces vem optando pelo modelo do MEI ou das Microempresas. Porém, existem uma série de outros modelos que podem atender melhor as necessidades da sua loja virtual. Por isso, vale a pena consultar um contador antes mesmo de escolher o modelo da sua empresa.

[ME ou Microempresa? Qual a melhor estrutura para a sua loja virtual? Clique e saiba mais!]

3.      Atenção para os impostos

Como explicamos acima, a escolha do tipo de empresa traz consequências diretas para a tributação. Se você tem uma pequena loja virtual e decide se formalizar através da figura do MEI, por exemplo, o recolhimento dos impostos se dará pelo Simples Nacional. Porém, é importante ter em mente que seu negócio possui um limite de faturamento.

Se a sua empresa conta com um faturamento superior a R$ 4,8 milhões, o regime tributário pode cair no Lucro Presumido ou Lucro Real, dependendo da situação.

[Entenda quais são as diferenças entre MEI, Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real]

Assim como as lojas físicas, as lojas virtuais também estão sujeitas à tributação. Se a sua loja estiver focada na venda de produtos, será necessário recolher o ICMS. Já no caso de serviços é preciso recolher o ISS.

Recentemente, o comércio eletrônico passou por mudanças na regulamentação no que se refere ao recolhimento dos tributos. Por isso, dependendo do tipo de loja virtual que você pretende montar, vale a pena conferir quais são os tributos que devem ser recolhidos e qual a melhor forma de fazê-lo.

4.      Formalize o seu negócio

Depois de escolher o melhor tipo de empresa e o regime de tributação mais vantajoso para a sua loja virtual, chegou a hora de formalizar seu negócio, ou seja, obter um CNPJ.

Dependendo do modelo de empresa escolhido, é necessário contratar um advogado para a formalização de um contrato social. Na sequência, é preciso registrar o contrato social na Junta Comercial, afim de obter o CNPJ.

Já no caso do MEI, o pedido de CNPJ é feito diretamente no Portal do Empreendedor sem que haja a necessidade de elaborar um contrato social.

Como o processo de formalização da sua loja virtual pode variar, dependendo do tipo de empresa, o ideal é contar com a ajuda de um contador para saber exatamente quais os procedimentos para o seu caso, bem como, quais as taxas e custos que implicam na abertura da sua empresa.

5.      Registro da marca e do domínio

Muitos empreendedores, especialmente aqueles que pretendem atuar no meio online, confundem o registro da marca e o registro do domínio achando que se trata da mesma coisa. Porém, são procedimentos diferentes que trazem consequências distintas para a sua loja virtual.

O registro de um domínio equivale a aquisição de um endereço web. Isso significa que, a partir do momento em que você registra o seu domínio, ninguém mais poderá ter aquele endereço na web que não você.

O registro do domínio, no entanto, não confere exclusividade sobre o uso do nome e da marca do seu negócio. Para isso, é necessário registrá-lo também no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) e obter o certificado de registro.

Antes de registrar o domínio, é recomendado checar junto ao INPI se o nome da sua marca está disponível. Caso não esteja disponível, você não poderá utilizar o nome e consequentemente desenvolver sua marca a partir dele. Por isso, seja cauteloso.

6.      Escolha uma boa plataforma

Depois de passar por toda parte de planejamento e pela burocracia da formalização, agora você precisa escolher uma boa plataforma para hospedar a sua loja virtual. Para fazer uma escolha assertiva, é fundamental conhecer o tamanho da sua empresa e o potencial do seu público alvo, caso contrário, sua loja viverá fora do ar e as chances de perder as vendas serão altíssimas.

Hoje existem inúmeras soluções e tipos de serviços voltados à hospedagem de e-commerce que atendem diferentes necessidades. Pesquise, cheque com outros empreendedores e procure encontrar aquele que se adéqua melhor às suas necessidades.

Se você é um contador e está procurando uma plataforma para o seu escritório preencha o formulário abaixo e um dos nossos consultores irá entrar em contato com você.  Se for  uma empresa e estiver procurando um contador responda dizendo que é uma empresa e vamos ajudar você a encontrar um contador online:

 

Comentários