fbpx

A área digital cresceu muito nos últimos tempos e, consequentemente, a demanda por serviços de TI e webdesign também aumentou bastante. Muitos profissionais especializados em desenvolvimento de interface e programação de sites, games, apps e outros softwares têm conseguido uma boa colocação no mercado.

Se você está começando na área, certamente uma das primeiras questões com a qual se deparou foi quanto cobrar pelos serviços. Essa é uma dúvida bem normal, até mesmo entre os profissionais que estão há mais tempo no mercado e que muitas vezes não têm ideias claras sobre o que levar em conta na hora de definir o preço ou não sabem se estão cobrando da forma correta pelos trabalhos. Se esse é o seu caso, confira nesta postagem como você pode definir o preço dos seus serviços de TI e webdesign!

A área digital cresceu muito nos últimos tempos e, consequentemente, a demanda por serviços de TI e webdesign também aumentou bastante. Muitos profissionais especializados em desenvolvimento de interface e programação de sites, games, apps e outros softwares têm conseguido uma boa colocação no mercado.

Se você está começando na área, certamente uma das primeiras questões com a qual se deparou foi quanto cobrar pelos serviços. Essa é uma dúvida bem normal, até mesmo entre os profissionais que estão há mais tempo no mercado e que muitas vezes não têm ideias claras sobre o que levar em conta na hora de definir o preço ou não sabem se estão cobrando da forma correta pelos trabalhos. Se esse é o seu caso, confira nesta postagem como você pode definir o preço dos seus serviços de TI e webdesign!

Dicas para definir o preço dos seus serviços de TI e webdesign

Quando se fala em serviços desse tipo, você provavelmente já deve saber que a forma mais comum de cobrança é por horas trabalhadas. Por trás desse valor, porém, tem um cálculo que todo o profissional deveria fazer: ele consiste basicamente em considerar o lucro desejado e os seus custos para chegar ao preço base da sua hora de trabalho.

Para fazer essa conta, comece dividindo o valor que você deseja ganhar no mês pelas horas mensais de trabalho, por exemplo 5.000/160 = R$31,25. Em um segundo momento, pegue a soma dos seus custos e despesas mensais, divida pelas horas de trabalho e depois acrescente esse número ao seu valor-hora: 1.500/160 = R$9,37 + 31,25 = R$ 40,62.

Pode parecer complicado, mas, na verdade, basta entender a lógica do cálculo e saber o que precisa ser levado em consideração na hora de cobrar. Nas dicas abaixo esclarecemos o que está por trás dessa conta e elencamos outros fatores que você deve considerar quando for precificar os seus serviços de TI e webdesign.

Valorize a sua experiência e assuma as suas limitações

Busque conhecer o mercado e o que os seus concorrentes oferecem e esteja consciente sobre as limitações que você tem. Se você não possui o conhecimento necessário ou não se sente seguro para prestar algum tipo de serviço, faça um curso ou encontre um modo de aprender. Conhecimento e experiência agregam valor ao serviço oferecido, por isso profissionais seguros e com anos de trabalho podem ajustar o preço de modo a valorizar esse ponto.

Não cobre um valor muito baixo

Preços muito abaixo dos praticados no mercado causam desconfiança nos clientes, pois podem ser indício de um trabalho menos qualificado. Não esqueça que o preço que você dá para o seu serviço deve ser coerente com o valor que você atribui ao seu trabalho. Se você cobrar muito pouco, além de estar desvalorizando aquilo que faz, poderá passar a imagem de um profissional pouco dedicado ao serviço que entrega.

Saiba quanto você quer trabalhar e quanto deseja ter de lucro

Não adianta você estabelecer um preço baseando-se somente nos concorrentes, porque é possível que esse valor não responda às suas necessidades. Se quer sobreviver como autônomo, você não pode cobrar o mesmo que alguém que possui um trabalho fixo e desenvolve alguns projetos em paralelo, por exemplo. Além do fato de que a sua dedicação provavelmente será muito maior, esses serviços serão a sua única fonte de renda. Defina, portanto, quanto você quer lucrar e quantas horas vai trabalhar diariamente para poder estabelecer um preço adequado à sua situação.

Faça uma estimativa real das horas de trabalho

No início é difícil estimar quanto tempo você vai levar para realizar um trabalho, mas com a experiência a tarefa vai se tornando mais fácil. Lembre-se de levar em conta todo o tempo de dedicação ao projeto: desde o momento do briefing e da pesquisa até o desenvolvimento e a finalização. Além disso, não esqueça de incluir no valor a assistência pós-entrega do trabalho e possíveis alterações ou suporte ao cliente.

Inclua todos os seus custos no cálculo

No cálculo dos custos, inclua todas as despesas que você possui para trabalhar, tanto as diretas quanto as indiretas: luz, aluguel, internet, telefone e software, por exemplo. Aqui entram também os custos administrativos e os impostos que você recolhe.

Deixe margem para negociação

Como nessa área normalmente se trabalha com projetos que levam bastante tempo para serem desenvolvidos, os valores são altos, e muitas vezes o cliente pode querer um “desconto”. Para chegar a um preço final justo tanto para você quanto para o cliente, considere adicionar um pequeno percentual ao valor no momento de apresentar o orçamento.

Conheça o seu cliente

É importante que você se informe sobre o seu cliente e entenda qual vai ser o retorno que o seu trabalho vai gerar para ele e a visibilidade que pode trazer para você – quanto maior esse retorno, mais valor o seu serviço terá e mais você poderá cobrar. Além disso, considere ajustar o seu preço também de acordo com a complexidade do projeto, o tipo e a exigência do cliente: você não pode cobrar a mesma coisa para criar o site de uma grande marca e o da pequena padaria da sua cidade, por exemplo.

Pronto para definir o valor do seu trabalho?

Como você conferiu, o preço ideal dos serviços de TI ou webdesign deve ser definido primeiramente de acordo com os custos e as necessidades do profissional e, em um segundo momento, pode ser ajustado conforme o tipo de projeto, o cliente e o mercado.

Agora que você já sabe como calcular o seu preço base e quais critérios utilizar para ajustá-lo e chegar ao valor final, mãos à obra: é só pegar papel, lápis e calculadora e começar! Se você ainda não está regularizado para prestar esse serviços, confira o nosso post sobre como abrir uma empresa e se formalizar na área de programação e design.

Comentários

Leia mais:
CRC o que é
CRC: o que é e o que tem a ver com a sua contabilidade

Certamente você já ouviu falar no CRC, não é mesmo? É bem provável que a sigla não faça parte do...

Fechar