fbpx

Um dos maiores desafios de quem quer ter o próprio negócio é conseguir capital suficiente para consolidar e manter a sua empresa. Conseguir esse capital, no entanto, não é uma tarefa fácil. Para quem tem um pequeno negócio e recursos financeiros ainda é uma questão, vale a pena conferir!

Um dos maiores desafios de quem quer ter o próprio negócio é conseguir capital suficiente para consolidar e manter a sua empresa. Embora dinheiro não seja tudo, quando se trata de empreendedorismo, ele é importante para estruturar e viabilizar uma empresa, proporcionando as condições mínimas para que ela possa funcionar.

Conseguir esse capital, no entanto, não é uma tarefa fácil. Tanto que muitos empreendedores acabam optando por entrar em uma sociedade com o objetivo de obter os recursos necessários para começar, ou ainda, manter seu negócio.

Para muitos empreendedores, obter um empréstimo através das instituições financeiras parece não ser a melhor solução. Em geral, as condições de empréstimos e linhas de crédito tradicionais são praticamente inviáveis. Por isso, muitos não acabam sequer perdendo tempo para pesquisar alternativas de obtenção de crédito através do financiamento.

Porém, hoje já existem modalidades de aplicações que possibilitam micro e pequenos empreendedores obterem os valores necessários para manter, ou mesmo ampliar, o próprio negócio. Para quem não conhece o microcrédito, vale a pena se informar mais sobre essa modalidade de financiamento. Ele pode ser uma ótima oportunidade para muitos micro e pequenos empreendedores.

Para quem tem um pequeno negócio e recursos financeiros ainda é uma questão, vale a pena conferir!

O que é e como funciona o microcrédito?

O microcrédito, como o próprio nome já indica, é uma modalidade de financiamento direcionada aos pequenos negócios. Comparado às linhas de crédito tradicionais, no microcrédito os valores oferecidos são bem inferiores (não costumam ultrapassar R$ 20 mil) e as garantias exigidas são mais simples.

Os prazos para o pagamento do crédito obtido também são mais curtos e o empreendedor será acompanhado de perto por um agente, que irá avaliar a aplicação dos valores, bem como, a possibilidade de se obter novo crédito.

Para conseguir o microcrédito, o empreendedor não precisa dar garantias reais, como demonstrar patrimônio, por exemplo. Nesse caso, a maioria das transações conta com um aval solidário e também individual.

Além disso, o processo é menos burocrático e a liberação dos valores costuma ser mais ágil e adequada aos ciclos de negócio. Porém, mesmo sendo ágeis, os prazos para a liberação de recursos podem variar de acordo com as instituições.

No microcrédito existe uma proximidade maior entre a instituição cedente e o tomador dos empréstimos, eliminando assim uma série de procedimentos burocráticos que atrasam a obtenção do crédito.

Acompanhamento e suporte

São características do microcrédito a avaliação, o acompanhamento e o suporte, realizado pelos agentes de crédito.

Antes mesmo de receber os valores, o empreendedor será acompanhado por esses agentes, que irão avaliar as condições de pagamento, bem como, o local das atividades produtivas. O valor financiado é sempre compatível com as atividades produtivas da empresa e sua capacidade de pagamento, por isso, existe essa análise prévia.

Depois de concedido o crédito, esses agentes também irão acompanhar a evolução do negócio e oferecer orientação e suporte ao empreendedor, sempre que necessário.

Como obter o microcrédito

Para obter o microcrédito é preciso buscar a instituição financeira ou seus agentes operadores. O Banco do Brasil, a Caixa Econômica e o BNDES são as principais instituições que oferecem essa modalidade de financiamento.

O BNDES já possui uma linha de caráter permanente para o apoio do microcrédito. O valor máximo, nesse caso, pode chegar a R$ 20 mil e a obtenção do recurso é feita diretamente com os agentes operadores de recurso ao microempreendedor, que podem ser localizados pelo próprio site do BNDES.

O microcrédito, no entanto, não é um recurso disponível a qualquer empreendedor. Para ser elegível para a obtenção do recurso, é necessário que a empresa tenha um faturamento anual igual ou inferior a R$ 360 mil. Além disso, só poderão ser objeto de financiamento investimentos fixos, compra de equipamentos, obras civis, além do capital de giro.

A taxa de juros do empréstimo não será superior a 4% ao mês e os prazos do financiamento e as garantias exigidas, em geral, são negociadas diretamente com o empreendedor.

Microcrédito e inadimplência

Dentro das diversas linhas de financiamento, o microcrédito vem ganhando cada vez mais espaço nas instituições financeiras, devido ao baixo índice de inadimplência dos pequenos empreendedores. Como o crédito é oferecido e o empreendedor é acompanhado de perto, as situações em que o empresário não paga seu empréstimo são quase nulas.

Além disso, os micro e pequenos empreendedores reconhecem que além do valor financeiro há um ganho, pois com o suporte dos agentes de crédito é mais fácil driblar a falta de experiência ou conhecimentos com relação ao planejamento financeiro da empresa.

Quando se trata de empreendedorismo, como explicamos, dinheiro não é tudo. Porém saber como buscá-lo e como utilizá-lo dentro do seu negócio é uma questão chave que separa empresas consolidadas e bem-sucedidas de empresas que em pouco tempo acabam quebrando.

Você já conhecia o microcrédito? O que pensa sobre esse modelo de financiamento para pequenos e micronegócios? Deixe seus comentários abaixo!

Comentários