fbpx

Em tempos de economia desaquecida, empresas e empreendedores precisam aprender a lidar com a inadimplência. Para evitar que o prejuízo seja ainda maior do que a dívida, é preciso agir com cautela e com uma certa dose de estratégia. Ou seja, é necessário saber realizar a cobrança da melhor forma.

O Código de Defesa do Consumidor veda qualquer forma de ameaça, constrangimento, ou ainda, exposição ao ridículo do devedor. Empresas que ignoram a lei podem sofrer sanções e até ações na Justiça. Por isso, o melhor caminho é sempre buscar a cobrança amigável, visando o melhor resultado. Mas como fazer isso? Confira as nossas dicas de como fazer uma cobrança da melhor forma!

Tenha uma régua de cobrança

Uma régua de cobrança nada mais é do que uma sequência de medidas que devem ser tomadas pela empresa caso exista a inadimplência. Em uma régua de cobrança, a empresa já estabelece quais são os prazos e as medidas que devem ser tomadas caso os valores devidos não sejam pagos. Essas medidas vão desde o contato via e-mail, SMS e o contato pessoal. Elas também estabelecem quais são os prazos para a tomada de medidas extrajudiciais e judiciais contra o devedor. Por meio de uma régua de cobrança, o credor tem praticamente um plano de ação contra o devedor, que deve estar focado sempre no resultado e não na coação. Em uma boa régua de cobrança, além das medidas propriamente, técnicas de negociação podem ser utilizadas a fim de fazer com que o devedor pague os valores em aberto.

Disponibilize formas alternativas de pagamento

Muitos clientes acabam se tornando inadimplentes pois possuem um certo “trabalho” na hora de efetuar o pagamento. Assim, caso exista a inadimplência, ofereça ao cliente devedor mais de uma opção para realizar o pagamento. Facilitando o meio de pagamento, as chances de receber os valores em aberto são maiores.  O uso de boletos e sistemas eletrônicos de pagamento, como Paypal ou Moip, por exemplo, podem ser uma boa alternativa.

Evite o constrangimento do devedor

Como explicamos, o Código de Defesa do Consumidor proíbe qualquer conduta que gere ameaça, constrangimento ou mesmo exponha o credor ao ridículo. Portanto, qualquer conduta agressiva ou que acabe inferiorizando o devedor pode ser caracterizada como uma infração à lei. Ligações em tom de ameaça, publicações em redes sociais e até a exposição da dívida à um terceiro pode trazer problemas para o credor. Assim, sempre que entrar em contato com o devedor, procure sempre usar um tom amistoso. Para evitar interpretações distorcidas e eventuais problemas, uma boa dica é sempre formalizar os contatos da cobrança por e-mail.

Entre em contato o quanto antes

Uma vez identificada a inadimplência, procure fazer o contato com o devedor em até três dias. Quanto antes a falta de pagamento for identificada e cobrada, maiores as chances de o credor receber o valor em aberto. Procure fazer o primeiro contato via e-mail, de preferência estabelecendo uma nova data para o pagamento. Se utilizar o sistema de boletos, é possível enviar um novo boleto com nova data de vencimento.

Nunca é demais dizer que, o e-mail dirigido ao devedor sempre deve ter o tom cordial e amigável, mais parecido com um lembrete do que uma cobrança propriamente.

Insista

Caso o devedor não tome qualquer atitude dentro de um prazo de 7 dias, a melhor estratégia é a insistência. Assim, encaminhe novamente o e-mail de cobrança estabelecendo uma nova data para o pagamento. Se mesmo assim, a inadimplência persistir, então é a hora de entrar em contato pessoalmente. Lembre-se que a cobrança pessoal deve ser feita através do departamento financeiro da empresa. Caso você seja um profissional autônomo e atue de forma independente, procure o auxílio de uma empresa de cobrança para fazer esse tipo de ação. Entrar em contato pessoalmente, em muitos casos, além de ser um desgaste pode acabar gerando situações de constrangimento do devedor, trazendo problemas ao empreendedor.

Formalize a suspensão dos serviços

Se após 30 dias a situação de inadimplência ainda persistir, chegou a hora de enviar uma carta de cobrança avisando sobre a suspensão dos serviços. Na carta, é importante que a empresa alerte o devedor sobre as multas decorrentes do atraso do pagamento e da suspensão dos serviços. Novamente, procure utilizar uma linguagem séria, mas jamais usando o tom de ameaça. O ideal é apenas deixar claro as sanções decorrentes da inadimplência.

Mesmo em uma carta de cobrança é fundamental agradecer e usar o tom cordial, portanto, não se esqueça disso.

Use as medidas legais contra o devedor

Depois de 60 dias de inadimplência, além de suspender os serviços, o credor pode buscar os meios legais para solucionar a dívida. É possível buscar tanto a execução do contrato na Justiça, como o protesto do boleto, se for o caso.

Lembre-se que a execução extrajudicial, além de ser mais rápida, costuma ser menos custosa ao devedor. Portanto, esse sempre é um caminho a ser considerado.

Realizar um serviço e não receber por ele é naturalmente frustrante e desgastante. Assim, é fundamental agir de forma estratégica e com foco no resultado, evitando assim que a dor de cabeça seja ainda maior!

Você é contador e tem problemas na hora de cobrar clientes? Saiba mais como se tornar um parceiro da Osayk e diminuir a inadimplência do seu escritório. Clique aqui e saiba mais!  Ou se quiser receber um contato de um dos nossos consultores agora preencha o formulário abaixo:

 


Comentários