fbpx

Se você pretende se tornar um “eupreendedor” e apostar na carreira de freelancer, não deixe de conferir algumas dicas para organizar suas finanças de forma inteligente!Ter flexibilidade de horários e conciliar a vida pessoal e a vida profissional de forma mais equilibrada são os principais motivos de quem opta por uma carreira freelancer. Sem dúvida a liberdade é um dos maiores benefícios de quem decide empreender por conta própria, porém, nem tudo é bônus e, obviamente, a vida freela também tem o seu ônus. Sem conhecimento e um bom planejamento financeiro é difícil aproveitar todos os benefícios de uma carreira de freelance, até porque, os imprevistos fazem parte do dia a dia desse profissional.

Se você pretende se tornar um “eupreendedor” e apostar na carreira de freela, não deixe de conferir algumas dicas para organizar suas finanças de forma inteligente!

Freelancer autônomo ou abrir empresa?

Quem trabalha por conta própria pode continuar atuando como pessoa física, de forma autônoma, ou ainda pode optar por abrir empresa. Essa escolha é uma decisão importante, já que traz implicações diretas sobre a carga de impostos que deverá ser recolhida e, consequentemente, afeta os preços dos serviços que serão oferecidos no mercado.

Carga tributária

Um dos modelos de empresa que melhor atende as necessidades de um freelancer é o Microempreendedor Individual (MEI), pois a carga de impostos é reduzida quando comparada a carga tributária destinada aos autônomos e o procedimento de formalização desse tipo de empresa é bem mais simples. A ideia é que quem trabalha por conta própria saia da informalidade e recolha os impostos corretamente, com uma carga proporcional à sua capacidade de trabalho.

Embora o MEI seja uma excelente opção em termos tributários, é importante que o freelancer tenha consciência das limitações desse modelo de empresa. Primeiro, é preciso que ele saiba que o limite de faturamento anual de uma MEI é de R$ 60 mil/ano. Logo, se o freelancer recebe mais do que isso, esse modelo de empresa não é a melhor opção. Além disso, apenas determinadas atividades econômicas possibilitam a abertura de uma MEI. Portanto, antes de dar esse passo de se tornar pessoa jurídica, o freela deve conferir se as atividades profissionais que realiza podem ser realizadas nesse modelo de empresa.

Vale destacar que algumas atividades tipicamente desenvolvidas por freelancers como designer, desenvolvimento de sites e consultoria não podem ser MEI.

Profissionais cujas atividades não possibilitam a abertura de uma MEI, ou ainda, que possuem um faturamento superior ao seu limite, a melhor opção é a regularização através da abertura de uma Microempresa. Para saber mais sobre a diferença entre a MEI e a Microempresa não deixe de conferir esse outro post aqui.

Quem atua como MEI tem um recolhimento único de impostos no valor aproximado de R$ 50,00. Além disso, o MEI possui um CNPJ que possibilita a emissão de notas fiscais e facilita na hora de obter empréstimos junto aos bancos.

Mercado

Para o freelancer é muito mais vantagem se tornar MEI não apenas pela redução na carga de impostos, como também pela facilidade na contratação. Quando uma empresa contrata uma MEI ela somente paga pelo serviço, diferentemente do que ocorre na contratação de autônomos.

Freelancers que atuam como autônomos, além de recolherem 11% de INSS, 5% de ISS e pagarem o IR pela tabela progressiva, acabam custando mais para as empresas contratantes. Isso porque, ao emitirem o Recibo de Pagamento Autônomo (RPA), a empresa contratante deve ainda recolher mais 20% de INSS. Dessa forma, para um contratante vale muito mais a pena investir em um profissional que é MEI ou outro modelo de empresa, do que um autônomo, por exemplo.

Planejamento

Se por um lado o freelancer tem muita liberdade de horários e uma rotina flexível, por outro, esse profissional não conta com uma série de garantias comuns aos empregados de carteira assinada. Plano de saúde, assistência odontológica, férias remuneradas, 13º salário, seguro desemprego, entre outros benefícios, não fazem parte da vida frila. Porém, nada impede que com um bom planejamento o freelancer garanta se futuro, sem perder qualidade de vida no presente.

O primeiro passo para isso é ter um orçamento, onde seja possível saber exatamente para onde vai o dinheiro. Muitos custos da vida de freelance acabam se confundindo com o orçamento pessoal, porém, isso não é motivo para não organizar as contas, inclusive verificando onde as despesas são excessivas e podem ser cortadas.

Como a base da profissão é a instabilidade, o ideal é ter sempre uma reserva que pode ser utilizada como fluxo de caixa, para evitar que você acabe quebrando. Além disso, a economia no dia a dia é sempre uma prioridade, afinal, os imprevistos fazem parte.

“Eupreendedorismo”

Quem decide atuar por conta própria e pretende investir em uma carreira como freelancer precisa saber se administrar como uma empresa. Além de contabilizar todas as entradas e saídas, o freelancer também precisa controlar o fluxo de caixa, o capital de giro e as contas a pagar e receber.

O freelancer também precisa contar com uma agenda de cobranças, organizar a emissão de notas e registrar tudo como faturamento.

Sem esse tipo de controle e planejamento, as chances do freelancer ter prejuízos financeiros é bastante alta, afinal, imprevistos aqui ocorrem e muitas vezes o profissional está sozinho para resolvê-los. O planejamento, portanto, é essencial para que uma questão pontual não se transforme em um grande problema.

Terceirizar, sim ou não?

Diversos freelas cometem a falha de não terceirizar atividades que não são centrais ao seu negócio. Isso acaba gerando uma sobrecarga de trabalho e comprometendo muitas vezes o serviço. O ideal é sempre buscar alternativas para liberar o foco para as atividades que são consideradas centrais.

Com a tecnologia, os freelancers possuem inúmeras ferramentas que auxiliam na administração de seu negócio. Aplicativos online permitem que você faça toda a contabilidade da empresa e a sua administração de forma acessível e muito eficiente, sem que seja necessário investir uma quantia exorbitante nisso.

Terceirizar, em muitos casos, significa um grande benefício. Afinal, seus clientes lhe pagam pela excelência do seu trabalho e não porque você sabe administra bem a sua própria empresa, não é mesmo? O foco para o aprimoramento das atividades principais é o que faz com que muitos freelancers acabem se destacando no mercado e conquistem mais e mais clientes.

Para quem escolhe esse estilo de vida, a liberdade sem dúvida é um bônus que compensa. Porém, para desfrutá-la, é fundamental ter disciplina, planejamento, um pouco de estratégia e conhecimento.

Você é freela e tem dúvidas como organizar suas finanças? Conhece ferramentas que podem auxiliar na administração da sua empresa? Deixe seus comentários abaixo!

Comentários