fbpx

No final de dezembro, pouco antes do recesso, o Governo anunciou uma série de medidas econômicas para estimular a economia no país. Entre elas, as que têm gerado mais discussão são aquelas relacionadas ao cartão de crédito, uma das formas de pagamento mais popular entre os consumidores e também um dos principais fatores de endividamento no país. Quer entender melhor sobre essas medidas? Confira este post!

No final de dezembro, pouco antes do recesso, o Governo anunciou uma série de medidas econômicas para estimular a economia no país. Entre elas, as que têm gerado mais discussão são aquelas relacionadas ao cartão de crédito, uma das formas de pagamento mais popular entre os consumidores e também um dos principais fatores de endividamento no país.

Agora que o ano de fato começou, vale a pena entender o que exatamente está mudando e como pode afetar sua vida como consumidor ou seus negócios como empreendedor. Veja neste artigo as principais propostas:

O que muda para o consumidor?

Confira abaixo as principais mudanças que afetam o bolso do consumidor na utilização do cartão de crédito:

Juros caem pela metade

No anúncio feito no dia 22 de dezembro de 2016, o governo Temer prometeu reduzir pela metade os juros do rotativo do cartão de crédito, que bateram recordes no ano que terminou, chegando a 475% em outubro.

Os juros são definidos pelos bancos, levando em consideração o potencial de calote por parte dos devedores, e são as próprias instituições financeiras que devem reduzir essas taxas, esperando-se queda ainda no primeiro semestre. Uma vez que a inadimplência chega a 36% nesta forma de pagamento, a proposta deve trazer um novo fôlego para que os endividados recuperem suas finanças pessoais.

Parcelamento da dívida

Além da redução dos juros do rotativo (que são cobrados quando o proprietário do cartão opta por pagar o mínimo da fatura), após 30 dias de inadimplência, o valor devedor passará a ser parcelado, com taxa de juros ainda menores para o consumidor.

Na prática, isso significa que os juros do rotativo, a dívida mais cara no mercado hoje, incidirão sobre o valor devido por apenas por 30 dias, sendo substituídos, após esse prazo, por taxas inferiores.

O que muda para as empresas?

Não é apenas o consumidor, entretanto, que se beneficia pelas novas medidas. As empresas que recebem de seus clientes via cartão de crédito também terão vantagens com as mudanças:

Prazo de recebimento de valores

Hoje as administradoras de cartão de crédito têm um prazo de até 30 dias para repassar os valores recebidos em transações de compra com cartão de crédito para as empresas. A nova proposta quer reduzir esse prazo para dois dias, o que facilitaria o fluxo de caixa dos negócios e manteria o capital de giro.

Esta medida é a que mais tem causado polêmica no mercado, mas depende apenas da resolução do Conselho Monetário Nacional para ser fixada e o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, diz que o governo não deve voltar atrás para atender as reivindicações das administradoras de cartão.

Desconto para o pagamento à vista

Outra medida do governo relacionada ao cartão de crédito é a liberação para o lojista praticar descontos para o pagamento à vista, de acordo com a forma de pagamento escolhida pelo consumidor. O objetivo é possibilitar melhores preços para quem compra e também diminuição do parcelamento nos recebimentos para o empresário.

Mudanças para movimentar a economia

As mudanças nas regras do cartão de crédito para 2017 fazem parte de uma série de ações propostas pelo governo para estimular a economia, que vêm sendo chamadas de “minipacote”. Com dinheiro na mão e menores juros em suas dívidas, espera-se que os brasileiros voltem a comprar, elevando os índices de consumo.

Ainda temos um longo caminho a percorrer para que a nossa economia se recupere e muita polêmica em torno das novas medidas: enquanto alguns setores comemoram as mudanças, especialistas criticam as propostas do “minipacote”, afirmando que têm pouca relação entre si e que não devem ter um impacto tão positivo na economia. De qualquer forma, como consumidor ou como empreendedor, cabe a nós ficarmos atentos às novas medidas e a como elas podem afetar nossa vida ou nossos negócios.

As mudanças no cartão de crédito beneficiam você? Deixe aqui nos comentários quais são suas expectativas em relação às novas medidas!

Comentários