fbpx

Vendas, finanças, mídias sociais, inovação e sustentabilidade: toda pequena empresa tem uma área em que precisa melhorar. Para capacitar esses empreendedores em dificuldade, o Sebrae irá oferecer mais de 300 mil atendimentos em várias cidades do país (veja a agenda).

Entre as atividades propostas estão seminários, consultorias, cursos presenciais e à distância, orientações técnicas, clínicas tecnológicas e caravanas. A estimativa é de que sejam realizados 324 mil atendimentos, distribuídos em 100 mil postos pelo país.

Vendas, finanças, mídias sociais, inovação e sustentabilidade: toda pequena empresa tem uma área em que precisa melhorar. Para capacitar esses empreendedores em dificuldade, o Sebrae irá oferecer mais de 300 mil atendimentos em várias cidades do país (veja a agenda).

Entre as atividades propostas estão seminários, consultorias, cursos presenciais e à distância, orientações técnicas, clínicas tecnológicas e caravanas. A estimativa é de que sejam realizados 324 mil atendimentos, distribuídos em 100 mil postos pelo país.

Sobre o perfil que será atendido, a instituição informa que irá concentrar esforços em setores prioritários, como Moda e Acessórios, Beleza, Construção Civil, Autopeças, Bares e Restaurantes, Turismo, Mercadinhos e Produção Rural. A previsão é que sejam ajudados 157 mil Microempreendedores Individuais (MEI), 133 mil microempresas, 22 mil empresas de pequeno porte e 12 mil produtores rurais.

Movimento

A iniciativa é parte do Movimento Compre do Pequeno Negócio, que promove as compras feitas em pequenas e médias empresas e acontece no dia cinco de outubro. A proposta é que os donos de pequenos negócios permaneçam nas empresas e se dediquem integralmente ao cliente, implementando ações que possam surpreender o consumidor.

A instituição enumerou cinco razões para incentivar a sociedade a comprar desse segmento: é perto da sua casa; é responsável por 52% dos empregos formais; o dinheiro fica no seu bairro; o pequeno negócio desenvolve a comunidade; e é um ato transformador (veja como as PMEs estão encarando a crise econômica).

Fonte: Mariana Fonseca, de EXAME.com

Comentários

Leia mais:
esocial para empresas. Como fica?
eSocial: como o fim da obrigação impacta a contabilidade?

E-social para empresas: Depois de anos trabalhando nas mudanças relativas às obrigações trabalhistas e adequações das entregas do eSocial, o...

Fechar