fbpx

Já falamos em outro post sobre como abrir uma empresa, mas é importante esclarecer que o processo de abertura de um escritório de arquitetura possui algumas peculiaridades. Por isso, se você é arquiteto e está pensando em abrir o seu negócio, preparamos um passo a passo com algumas dicas importantes.

Muitas vezes um dos fatores que impede alguns profissionais de empreender é a falta de informação sobre as questões legais de uma empresa ou atividade. No caso dos arquitetos, como no caso de muitos outros profissionais, isso é bem comum e alguns acabam atuando por anos sem saber, por exemplo, que trabalhar como autônomo pode ser mais custoso do que ter uma empresa.

Já falamos em outro post sobre como abrir uma empresa, mas é importante esclarecer que o processo de abertura de um escritório de arquitetura possui algumas peculiaridades. Por isso, se você é arquiteto e está pensando em abrir o seu negócio, preparamos um passo a passo com algumas dicas importantes.

Começando o escritório de arquitetura: Formato de empresa e atividade

Uma das principais definições na hora de abrir um escritório é se você vai contar com um sócio ou não. Antes de mais nada, saiba que, mesmo sem um sócio, ter uma empresa muitas vezes vale mais a pena do que atuar como autônomo, já que a empresa paga significativamente menos impostos do que a Pessoa Física. Contudo, é verdade também que abrir um escritório em sociedade com outros profissionais pode ter ainda mais vantagens tributárias e ficar ainda mais em conta.

Quais serão as atividades da empresa?

A escolha das atividades influencia no formato da empresa e tem relação com a questão do sócio, pois determina se ela será uniprofissional e se vai exercer somente a atividade de arquitetura ou englobar outras funções.

A atividade de “serviços de arquitetura” é determinada pelo número 7111-1/00 na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). O item compreende: consultoria e prestação de serviços técnicos em projetos de prédios; supervisão de execução de projetos; projetos para ordenação urbana e uso do solo e de arquitetura paisagística. Se além dessas atividades, a sua empresa oferecer também serviços de reforma ou desenho técnico, por exemplo, ela deverá estar enquadrada também em outra classificação.

Qual é o tipo de empresa ideal?

O formato da empresa vai depender de você ter um sócio ou não, das atividades que o seu escritório vai oferecer e do porte que você projeta que ele terá. Na hora de avaliar o tipo de empresa ideal, tenha presente que desde janeiro de 2015 é possível que empresas de arquitetura, design de interiores e engenharia com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões optem pela tributação do Simples Nacional. Isso pode significar uma diminuição nos encargos federais para alguns casos, mas não é vantajoso em todos. Por isso, para alguns tipos de empresa a melhor opção continua sendo o regime de tributação tradicional.

Para tirar as suas dúvidas sobre os tipos de empresa no Brasil, já falamos sobre esse tema aqui.

Investimento

É difícil precisar quanto é necessário para abrir um escritório de arquitetura. É preciso estabelecer o valor que você possui para investir e a partir disso definir como aplicá-lo. Em um primeiro momento, você pode priorizar o que for imprescindível para começar a operar. Entre esses gastos, estão os trâmites legais de abertura da empresa, o capital de giro e uma infraestrutura mínima para oferecer os serviços.

O local de trabalho deve ter pelo menos mesa, cadeira, computador e software adequado à atividade. Se a sua possibilidade de investimento é restrita, em vez de ter um local próprio, no início você pode optar por uma sala alugada em um local compartilhado – hoje existem vários locais prontos onde as despesas são divididas ou você pode pagar somente pelo tempo de uso.

Capital de giro

Além do local de trabalho e dos custos de abertura, é necessário também ter dinheiro para operar e manter o negócio nos primeiros tempos. Para isso, você precisa saber quanto custará a manutenção da estrutura: pró-labore, aluguel, telefone, luz, água, internet e encargos. O capital de giro é justamente o valor necessário para financiar a continuidade das operações da empresa, incluindo todos os recursos necessários, como o pagamento de impostos, os salários e as despesas operacionais. Para abrir um escritório de arquitetura e operar até o negócio engrenar, recomenda-se um capital de giro que cubra pelo menos seis meses de funcionamento da empresa.

Formalização

Um dos primeiros passos para abrir um escritório de arquitetura consiste em registrar o nome do negócio junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Você precisa primeiramente verificar se o nome já existe e depois proceder com o registro.

Outra etapa fundamental é a elaboração do contrato social, que serve para regularizar a relação entre os sócios, definir o funcionamento da empresa e formalizar a abertura. Esse documento deve ser claro e detalhado e registrado no cartório.

O escritório deverá também estar inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) junto à Receita Federal, que permite a realização da inscrição através do site. Além disso, em um segundo momento será necessário retirar um registro legal na Junta Comercial do Estado e solicitar um alvará e a autorização de impressão de Notas Fiscais junta à prefeitura. Em até 30 dias após o início das atividades, um representante legal também deverá solicitar o cadastro da empresa na Previdência Social.

Também é fundamental que o escritório seja registrado no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR). O procedimento pode ser feito através do site e exige alguns documentos: ato constitutivo, contrato social ou estatuto registrado na Junta Comercial; comprovante de inscrição no CNPJ; comprovação de vínculo do responsável técnico com a PJ e registro de Responsabilidade Técnica.

Auxílio profissional

O processo de abertura de um escritório de arquitetura não é exatamente simples, pois inclui várias etapas de formalização e essa atividade é cheia de peculiaridades. Por essa razão, além de contar com a ajuda do conselho profissional e de colegas para a definição do investimento e dos serviços oferecidos, é muito importante contar com o auxílio de um escritório de contabilidade. Um profissional poderá orientar sobre o tipo de empresa e os impostos a pagar, além de ajustar o seu Plano de Negócios e atuar no processo de abertura do escritório.

Esse post ajudou você? Está pensando em abrir sua  própria empresa de arquitetura? Deixe aqui sua mensagem!

Comentários

Leia mais:
Economizar custos e gastos
6 dicas para economizar e cortar custos na sua empresa

A redução de gastos e custos nesses momentos é muito positiva e deve estar alinhada com um gerenciamento dinâmico da...

Fechar