fbpx

Ter um fluxo de caixa bem monitorado permite que o empreendedor saiba o quê fazer em momentos de dificuldade financeira, evitando que a empresa quebre. Esse tipo de controle financeiro auxilia, portanto, a fazer previsões e antecipar as ações para que os momentos críticos não se tornem um real problema para empresa. Quer saber o que fazer para manter seu fluxo de caixa saudável? Então continue acompanhando o post que preparamos para você!Sua empresa precisa fazer investimentos, mas não possui dinheiro. Seu faturamento atual está abaixo das despesas e está ficando difícil cobrir as próprias contas do negócio. Ou ainda, sobram recursos no final do mês, sem que você espere. Nenhum desses cenários é bom, pois a falta de dinheiro impede que a empresa realize suas atividades e cumpra com seus compromissos e, da mesma forma, a sobra de recursos também significa perda, já que dinheiro em caixa não rende juros nem gera lucro.

Se sobra ou se falta dinheiro no caixa da sua empresa, isso indica falta de planejamento e para reverter essa situação você precisa controlar o seu fluxo de caixa. Ele é o principal instrumento de gestão financeira que garante a sobrevivência dos negócios e economia de recursos. Por isso, quanto mais saudável for seu fluxo de caixa, maiores são as chances da sua empresa fazer história no mercado e chegar ao tão sonhado sucesso.

Fazer esse tipo de controle financeiro é algo extremamente simples, já que ele se resume ao registro dasmovimentações financeiras. Porém, muitas empresas acabam não controlando o fluxo de caixa ou se perdendo nos registros, por não terem a disciplina de anotar diariamente todas as suas receitas e despesas.

Ter um fluxo de caixa bem monitorado permite que o empreendedor saiba o quê fazer em momentos de dificuldade financeira, evitando que a empresa quebre. Esse tipo de controle financeiro auxilia, portanto, a fazer previsões e antecipar as ações para que os momentos críticos não se tornem um real problema para empresa.

Quer saber o que fazer para manter seu fluxo de caixa saudável? Então continue acompanhando o post que preparamos para você!

1. Entendendo o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta financeira bastante simples e que representa as entradas e saídas de dinheiro de um negócio. Com ele é possível não apenas planejar os próximos passos da empresa, mas também propor estratégias para os prazos de pagamentos e recebimentos, além de avaliar se a empresa possui recursos para cobrir todas as suas despesas e obrigações.

Todo fluxo de caixa é composto por quatro itens, que são:

Saldo inicial

Essa é a quantia que compõe o caixa da empresa. Aqui consideramos não apenas o caixa em si, mas também a conta bancária, cofres, entre outros recursos.

Receitas ou entradas

São os valores que resultam da venda de produtos ou serviços comercializados pela empresa, empréstimos, doações, entre outros.

Despesas ou saída

Aqui consideramos todo o dinheiro gasto com compras, salários, materiais, impostos, entre outros.

Saldo final

É o saldo que a empresa possui ao final do período, ou seja, o resultado das receitas menos as despesas. Em geral, o fluxo de caixa é medido mensalmente, no entanto, nada impede que esse monitoramento seja feito de forma semanal, ou mesmo, quinzenal.

O importante é realizar não apenas o controle, atualizar constantemente o fluxo de caixa, a partir do surgimento de novas despesas ou receitas.

2. Como montar seu fluxo de caixa?

Você deve anotar todos os itens acima em uma planilha e ir contabilizando os custos fixos e variáveis da empresa, mais suas entradas. Essas anotações podem ser feitas em uma simples planilha, mas, se você quiser realizar um controle mais assertivo, possibilitando inclusive a análise de dados, um aplicativo de contabilidade online pode ser uma ótima ferramenta para te ajudar no monitoramento e também no controle do seu fluxo de caixa.

O que fazer diante de um fluxo de caixa negativo?

A primeira dica aqui é reduzir o excesso de vendas à prazo, especialmente aquelas que consideram prazos longos. Também é importante minimizar os atrasos e inadimplência de clientes. Também é importante avaliar o equilíbrio entre preços e custos, analisando se ações promocionais, por exemplo, não estão colocando seu negócio em risco.

Se seu fluxo de caixa está ou ficará negativo, é extremamente importante que você converse com seus fornecedores estabelecendo novos prazos de pagamento ou mesmo parcelando suas compras. Isso evita a inadimplência e até a cobrança de multas ou juros por atraso no pagamento.

É importante reduzir os estoques em tempos mais difíceis e isso pode ser feito por meio de ações promocionais ou de marketing. Também é importante criar produtos ou serviços que minimizem as vendas sazonais.

Você pode também antecipar as receitas oferecendo descontos para pagamentos antecipados o ainda pré-venda de produtos ou serviços.

Os empréstimos podem também ser uma opção. No entanto, neste caso, avalie com cautela as condições e taxas de juros e veja se são realmente vantajosas tendo em vista a situação da sua empresa. Essa, sem dúvida, deve ser a última alternativa que o empreendedor deve buscar, quando já tiver esgotado as demais.

E, se for positivo?

Se você verificar na previsão que o saldo do seu fluxo de caixa será positivo, você precisa dar uma boa destinação a esse dinheiro, para que isso não gere perdas na empresa. Avalie se é o caso de investir em algum aspecto do seu negócio. Com uma previsão positiva você também pode melhoras as condições de vendas a prazo, atraindo mais clientes.

Por fim, você também pode distribuir lucros entre os sócios com esse montante residual ou ainda aplicar esse dinheiro para que renda e possa ser investido posteriormente.

3. Fluxo de caixa e capital de giro

Já tratamos sobre o capital de giro nesse post aqui e é importante que o empreendedor tenha a consciência de que a relação entre o capital de giro e o fluxo de caixa e bastante estreita. Afinal é o fluxo de caixa que aponta quanto de capital de giro que a empresa vai precisar para se manter funcionando.

Se você não tem um grande capital de giro e seu fluxo de caixa não anda muito bem, algumas medidas podem ser tomadas de emergência, evitando que isso se torne um problema para a sua empresa. Primeiramente evite comprar produtos à vista e pague sempre em dia seus fornecedores. Utilize as vendas a prazo de forma inteligente e determine previamente os prazos máximos e mínimos que podem ser suportados pelo seu negócio sem que isso comprometa seu capital de giro.

O estoque também é um ponto importante aqui. É preciso que você tenha um estoque mínimo, evitando assim empatar mercadorias e ter prejuízos no futuro com uma eventual queima.

Com um fluxo de caixa bem monitorado, você pode medir o desempenho da sua empresa, estabelecer metas e garantir que ela continue realizando suas atividades por mais tempo. Essa ferramenta de gestão é uma das principais aliadas do seu negócio.

Você possui alguma ferramenta para o controle do seu fluxo de caixa? O que você considera eficiente no caso da sua empresa? Já pensou em utilizar a contabilidade online para fazer seu fluxo de caixa de forma automatizada e simples? Deixe seus comentários abaixo!

Comentários