fbpx

O Livro Razão e o Livro Diário fazem parte dos livros contábeis obrigatórios de uma empresa. Antes de 2007, contudo, eles precisavam ser elaborados, emitidos e assinados por um contador responsável. Com a criação do SPED,  esses livros foram substituídos pelo sistema de Escrituração Contábil Digital (ECD). Porém, mesmo com as mudanças promovidas pela tecnologia, ainda sim, é importante que o empreendedor compreenda a finalidade do Livro Razão e do Livro Diário e como é feito o registro no dia a dia da empresa. Para saber mais, confira!

Livro Razão e Livro Diário: conheça mais sobre os livros de escrituração

Tudo o que ocorre no cotidiano de uma empresa precisa ficar registrado nos chamados livros de escrituração. Esses livros, que contam com finalidades específicas, servem para gravar desde a venda de produtos e controle de estoques, até o lucro e eventuais prejuízos sofridos.

Os livros de escrituração podem ser de três tipos:

  • Os livros fiscais;
  • Os livros contábeis;
  • Os livros sociais.

Cada livro marca atos e fatos próprios que ocorrem na administração de qualquer empresa.

Os livros contábeis, como o próprio nome já diz, registram informações que impactam o controle feito por um contador responsável pela gestão contábil desses dados. Segundo a legislação, todos os comerciantes são obrigados a seguir uma ordem uniforme de contabilidade e escrituração, mantendo os livros necessários para essa finalidade.

Alguns livros contábeis são obrigatórios e outros não, porém nenhum deles deve ser desconsiderado pelo empreendedor já que podem ser utilizados como uma ferramenta de controle e gestão de entradas e saídas.

Para quem quer substituir a escrituração tradicional pela digital, entenda mais sobre SPED Contábil e SPED Fiscal.

Livro Diário

O Livro Diário é aquele onde são marcadas diariamente todas as movimentações de valor de uma empresa, sendo um registro básico de toda a escrituração contábil.  Neste livro são lançados dia a dia todos os atos ou operações em atividade, que modifiquem ou possam alterar a situação patrimonial da empresa.

Além de ser obrigatório, esse livro conta com formalidades específicas, tais como as folhas numeradas, o termo de abertura e o de encerramento. Ambos devem ser assinados tanto por um contador quanto pelo empreendedor, e precisam ser autenticados junto à Junta Comercial. Tanto no termo de abertura quanto de encerramento constam todos os dados empresariais e o período em que foram feitas as anotações.

Os lançamentos feitos no Livro Diário poderão ser feitos diretamente ou por reprodução, ou ainda por meio eletrônico de dados.

É possível realizar a escrituração resumida do diário, desde que não excedam o período de um mês e sejam relativas as contas de operações numerosas, ou ainda, contas realizadas fora da sede do estabelecimento. Para que ocorra a escrituração resumida é preciso utilizar livros auxiliares para o registro individualizado, bem como, devem ser conservados os documentos para a sua perfeita verificação.

Os registros no Livro Diário devem ser feitos de acordo com a ordem cronológica do lançamento, desde o primeiro até o último dia de cada ano.

Quer entender mais sobre contabilidade tradicional X contabilidade online? Baixe nosso e-book gratuito.

Livro Razão

O Livro Razão também é um livro contábil obrigatório, fundamental para a contabilidade da empresa, porém não possui tantas formalidades quanto o Livro Diário. Neste livro não são necessários os termos de abertura ou encerramento e, da mesma forma, não é preciso a autenticação na Junta Comercial.

O Livro Razão serve para controlar os saldos de todas as contas registradas no Livro Diário de forma individualizada. Assim, este livro trata de manter os registros de todos os dados em aberto além das contas a pagar ou a receber.

Vale destacar que o Livro Razão, mesmo abrangendo todas as contas, possui como foco as contas que afetam o resultado do patrimônio da empresa.

Tanto o Livro Diário quanto o Livro Razão contam com os registros feitos em um período de um ano.

Escrituração Contábil Digital (ECD) e a substituição dos livros contábeis

Com o objetivo de automatizar a escrituração contábil, em 2007 o governo criou o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), composto pela escrituração contábil digital, escrituração fiscal digital e nota fiscal eletrônica.

A Escrituração Contábil Digital (ECD) faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), que substituiu o sistema de escrituração tradicional feito através dos livros contábeis pela transmissão de arquivos em um ambiente digital. Por isso, atualmente, são enviados de forma eletrônica os seguintes livros:

  • O Livro Diário e seus auxiliares, quando possuir;
  • O Livro Razão e seus auxiliares, quando possuir;
  • O Livro de Balancetes Diários, Balanços e fichas de lançamento comprobatórias dos assentamentos transcritos nesses livros.

Para realizar a escrituração digital, você precisa de um Certificado Digital. Saiba o que é e para que serve.

Quem precisa entregar a ECD?

Estão obrigadas a entregar a ECD:

  • Empresas no regime tributário do lucro real;
  • Empresas no regime tributário do lucro presumido;
  • Outras empresas que, devido a alguma situação específica, precisaram apresentar a Escrituração Digital das Contribuições, conforme Instrução Normativa RFB 1.252/2012;
  • Sociedades em Conta de Participação (SCP), com livros auxiliares do sócio ostensivo.

Quem deve fazer a escrituração contábil?

Para evitar riscos para sua empresa, o ideal é que você tenha um contador ou escritório de contabilidade para cuidar dessa parte. Independente disso, você precisará fornecer os fatos que devem ser transcritos nos seus livros para que a escrituração seja realizada.

A grande vantagem da contabilidade online nesse sentido é que ela já conta com processos automatizados e online para esse envio. No caso da Osayk, cada cliente conta com uma plataforma contábil e financeira, que mostra relatórios financeiros e o fluxo de caixa da empresa de forma descomplicada e fácil de entender.

Além disso, a Osayk possui emissão de notas fiscais de serviços através de sua plataforma e importação do extrato bancário, o que facilita muito o processo de colocar essas informações na plataforma. Esqueça aquela confusão de documentos e notas.

Com a Osayk, tudo fica mais fácil!

 

Comentários

Leia mais:
Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte
Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte: qual a diferença?

É normal confundir as denominações de Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. Confira em qual classificação você se enquadra.

Fechar