fbpx

Se em 2015 a sua empresa não optou pelo Simples Nacional e agora gostaria de fazê-lo, o momento é até a próxima sexta-feira, 29 de janeiro. Para saber quais os procedimentos, basta acessar nosso artigo. Mas se você ainda tem dúvidas sobre a opção pelo Simples, vamos ajudá-lo a entender melhor as características e benefícios desta alternativa. Confira!

O que é o Simples Nacional

Simples NacionalO Simples Nacional é um regime tributário diferenciado que simplifica o recolhimento de impostos e contribuições. Ele está previsto na Lei Complementar nº 123, de 2006, que se aplica às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Desde que foi criado passou a ser adotado por boa parte das empresas como uma solução vantajosa e menos burocrática.

Quais tributos estão unificados no Simples – O Simples unifica 8 tributos:

  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Quem pode optar pelo Simples Nacional style=”font-weight: 400;”> –  Podem optar pelo Simples todas as microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) que tenham receita de até R$ 3.600.000,00 no ano, que não estejam enquadradas em nenhuma das vedações previstas na Lei Complementar 123, de 2006, e que se dediquem ao comércio, à indústria e às muitas outras atividades permitidas, como agências de viagem e turismo, creches, agências lotéricas, corretagem de seguros, laboratórios de análises clínicas, odontologia, jornalismo e publicidade, etc. Para ter acesso à lista completa de atividades permitidas e proibidas, basta acessar o site da Receita Federal.

Simples NacionalO que considerar antes de optar – Normalmente, o Simples costuma ser a melhor alternativa para as empresas enquadradas nas exigências acima, e como unifica o recolhimento de tributos, facilita muito a vida do empreendedor. Porém, é preciso considerar o limite máximo de receita anual permitido dentro desta opção, e isso requer um planejamento por parte da empresa. Caso as expectativas sejam de ultrassar o limite do Simples no ano posterior, por exemplo, deve-se lembrar que a migração de regime só poderá ser feita até o último dia de janeiro de cada ano, caso contrário a empresa acabará correndo riscos de pagar mais tributos do que deveria.

Também é preciso considerar que as alíquotas são cobradas conforme a categoria da empresa, começando em 4,5% (que se aplica, por exemplo, à atividade de aplicação de revestimentos e de resinas em interiores e exteriores) e indo até 16,93% sobre o valor faturado (aplicado, por exemplo, aos representantes comerciais e agentes do comércio).

Para saber como a sua empresa se enquadra, basta acessar os detalhes no site da Receita Federal ou conversar com seu contador. E nós da Osayk também estamos sempre à disposição para ajudá-lo com sua contabilidade ou auxiliá-lo na migração. Se desejar também conhecer mais tipos de empresa e enquadramento, confira este nosso post sobre tipos de empresa.

Se você é um contador e está procurando uma plataforma para o seu escritório preencha o formulário abaixo e um dos nossos consultores irá entrar em contato com você.  Se for  uma empresa e estiver procurando um contador responda dizendo que é uma empresa e vamos ajudar você a encontrar um contador online:

Comentários